- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.515 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fica o silêncio entre nós

Carlos Baleia / Daniel Gouveia
Repertório de Teresa Tapadas

Quando tudo já foi dito / Fica o silêncio entre nós
Acaba calado o grito / E o amor fica sem voz

Em caminhada insegura / Eu sigo o som dos teus passos
E o cansaço da procura / Só me afasta dos teus braços

Silêncio, que coisa estranha
A esconder uma verdade
De que não sei a idade
Nesta solidão que invento
Silêncio, que dôr tamanha
Saber que a tua maldade
Não evitou a saudade
Que sinto neste momento

Sem encontrar as palavras / Sem desatar tantos nós
Sem saber onte te amarras / Sem ouvir a tua voz

Por caminhos e amarguras / A marcarem meu sofrer
Mais que sombrias, são escuras / As horas do meu viver