- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Eléctrico de Lisboa

Mário Raínho / Nuno Nazareth Fernandes
Repertório de Cidália Moreira

Ainda a última estrela
Do céu não desapareceu
Já um eléctrico tagarela
Subiu Lisboa e desceu

Leva um cabo sobre o ombro
Como mastro dum navio
Desce a calçada do Combro
Como um barco desce o rio

Tens janelas de ternura / Donde espreitas com enleio
Esse puto que à pendura / Se esconde do guarda-freio
Ai, eléctrico de Lisboa / Que és minha cara metade
És mais que qualquer pessoa / Um pedaço da cidade

Dentro da tua viagem
Essa memória alfacinha
Perde-se nessa paisagem
Que afinal é tua e minha

Transportas no teu regaço
Povo que é teu passageiro
Aqui te deixo um abraço
Ó meu velho companheiro