- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

O fado e as bocas

José Fernandes Castro / Carlos Santos
Repertório de Zé Carvalho

Tenho a mania que sei cantar bem o fado
E sou muito mal tratado p'las pessoas de má fé
Tenho a mania que tenho uma voz timbrada
A malta fica afinada, e grita toda de pé

Ah fadista... 
Vai cantar p'ra tua terra
E todos em pé de guerra 
Dizem tantos disparates
Ah fadista... 
Continuam a gritar
E para eu me calar 
Até me atiram com tomates

É uma doença que tenho desde chavalo
Para mim é um regalo, fazer parte das rambóias
É uma doença que agora já não tem cura
Já andam à minha procura, p'ra me levar p'ra Custóias

Vivo p'ro fado, tenho esta ideia chalada
Com minha voz encharcada continuo esta labuta
Vivo pró fado, quero morrer a cantar
Ouvindo a malta gritar: vai-te embora, ó filho da... luta

Ah fadista... 
Vai cantar p'rá tua terra
E todos em pé de guerra 
Fazem grande algazarra
Ah fadista... continuam a gritar
E para eu me calar 
Até me gamam a guitarra