- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Mãos vidreiras

Letra e musica de Francisco Correia Moita
Repertório de Deolinda Bernanrdo

Olhai p’ra estas mãos que aqui vêdes
Já foram pequeninas e formosas
Leves e macias como lírios
Rosadas e frescas como rosas

Mãos que foram dóceis em criança
Hoje são áridas brutais
Que não tendo a graça das ilustres
Valem certamente muito mais

Mãos vidreiras que o gás do forno queimou
Mãos vidreiras que o trabalho calejou
Mãos vidreiras que só fazem obras de arte
Mãos que sabem ser vidreiras
Honradas em toda a parte

Ohai p’ra estas mãos trabalhadoras
Pelo rigor da vida transformadas
Mãos que nunca foram ociosas
Mas pelo trabalho calejadas

Mãos que se irmanam com o fogo
Trabalhando o vidro em bulição
Mãos que são a alma de um povo
Na sua dura vida e duro pão