- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Malva-Rosa

Linhares Barbosa / José Inácio
Repertório de Ana Rosmaninho

Xaile verde, verde-malva
Sacudida e donairosa
Ainda mal rompia a alva
Saía de casa a Rosa

O esvoaçar do seu xaile
Trazia o povo intrigado
E a pobre Rosa, afinal
Ia à missa e ao mercado

E a rosa que abrisse na sua roseira
Não tinha a maneira daquela morena
Ligeira, brejeira, formosa
Parecia uma pena pequena
Essa Rosa

Creio que desde criança
Aquele xaile a compunha
A ponto da vizinhança
À Rosa pôr esta alcunha

Esta alcunha graciosa
De que já ninguém a salva
Chamavam-lhe a malva-Rosa
Por seu xaile verde-malva