- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Os teus olhos

Mote de António Botto / DR /  Alberto Lopes *fado dois tons*
Repertório de Manuel de Almeida

Meus olhos que por alguém
Deram lágrimas sem fim
Já não choram por niniguém
Basta que chorem por mim

Mosto muito dos teus olhos / Ainda mais gosto dos meus
Se não fossem os meus olhos / Não podia ver os teus

E se o perdesse a luz / Por ordem do próprio Deus
Ia pedir a Jesus / Só a luz dos olhos teus

Arrependidos e olhando / A vida como ela é
Meus olhos vão conquistando / Mais fadiga e menos fé

Choram cheios d’amagura / Mas se as coisas são assim
Chorar alguém, que loucura / Basta que chorem por mim