As 5.205 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Fado do fado

António Tavares Teles / Tó Zé Brito
Repertório de Rodrigo

O fado tem um fado, um destino
Desde menino, ser português
Nasceu num bairro antigo de Lisboa
Não foi á escola, mal sabe ler

Deu os primeiros passos lá na rua
Cresceu á toa pela cidade
E a primeira palavra que aprendeu
Nunca a esqueceu, foi a saudade

Mas saudade de quê? pergunta a gente
Que o fado sente
Que o fado sente
Sem perceber porque é que o fado há-de
Ter tal saudade
Ter tal saudade
Se a vida nunca lhe deu coisa boa
Nasceu na rua e não é burguês
Saudade, só se fôr do seu destino
Desde menino
Ser português

O fado tem um fado, um destino
Desde menino que é, fado ser
Cresceu do Bairro Alto á Madragoa
Ganhou escola e altivez

Deu os primeiros passos lá na rua
Cantou á toa pela cidade
A primeira palavra que aprendeu
Nunca a esqueceu, foi a saudade

O fado tem um fado, um destino
Tem um destino que é, fado ser
Mas tem outro destino, outr fado
Que é ser cantado p'ra não morrer