- - -

- - -
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...
- - -
° 6.000 publicações <> 1.750.000 visitas <> Maio 2020 °
- - -
° POR QUESTÕES DE FUNCIONALIDADE EXISTEM ÍNDICES DIVIDIDOS EM 2/3 COLUNAS // Os fados de Coimbra e os Humorísticos estão em colunas isoladas °
- - -
° Procure a letra do Fado // Pelo título correto // E veja aqui publicado // O seu Fado predileto // Se não encontra o seu fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido °
- - -
° fadopoesia@gmail.com °

.

Na minha rua

Letra e música de Daniel Gouveia
Repertório de Bruno Igrejas

Quando o sol e até a lua
Visitam a minha rua
Têm de pedir licença
Pois não se atrevem jamais 
Do que ficar p’los beirais
Que a sombra tem mais presença

Mesmo com o dia claro 
Na minha rua é mais raro
Ver a luz do astro-rei
Porque ela é tão estreitinha
Que da janela, a vizinha
Me dá a mão que lhe dei

Sempre lá vivi e bem conheci, tantos moradores
Ouvi, p’ra acordar, gaitas a tocar, dos amoladores
Vi regar flores, vi nascer amores, pelos bailaricos
Gente a discutir, quadras a florir, entre manjericos


Quem me dera o tempo antigo
Da Tia Rosa ao postigo
P’ra contar as novidades
Ir com os outros prá escola
Onde na velha sacola
Hoje só guardo saudades

Esta rua está diferente
Anda por cá muita gente
Que só vem p’ra ver as vistas
Há fado por todo o lado
Desapareceu o passado
O que mais há é turistas

Já não há varinas, já não há ardinas, mas que desatino
Nem a Tia Rosa, que morreu idosa… já não sou menino
Rua que eu adoro, onde ainda moro, mas o tempo avança
Adeus tradições, adeus afeições, já não sou criança