- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Fado da Madragoa

José Galhardo / Raúl Ferrão
Repertório de Maria da Fé

Ó Madragoa das bernardas e das trinas
Dos pescadores, das varinas... da tradição
És a Lisboa que nos fala doutra idade
Desses tempos da cidade... que já lá vão

Bairro cercado por igrejas e conventos
Com tão santos monumentos... na vizinhança
Meu bairro amado, vem provar como é verdade
Que entre a fé e a caridade... pôs Deus a esperança

Ó Madragoa
És a mãe da minha mãe
Ó gente boa do meu bairro, escutem bem
Nesta Lisboa
Do progresso e da vaidade
É ali na Madragoa que mora a saudade

És, Madragoa, mais cristã que a Mouraria
Mais alegre que a alegria... e até mais bela
Doa a quem doa, não há bairro com mais raça
Tem mais graça até que a Graça... mais luz que a Estrela

Ali viveram sempre, os bravos mareantes
Foi ali que os navegantes... tiveram ninho
Muitos morreram, mas há um que a gente chora
Esse herói que o povo adora... Gago Coutinho