- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Canção do velho poeta

José Régio / Maria do Rosário Bettencourtt
Repertório de Maria do Rosário Bettencourt


Moço aventureiro / Que os primeiros passos
Desprendes ligeiro / Com mira aos espaços
Velho, pouco posso / Tudo mal consigo
Mas irei contigo
Mas irei contigo

Moço trovador / Que inda p’los dedos
Medes a rigor / Teus subtis segredos
Nem que nenhum verso / Já persiga… sigo
Rimarei contigo
Rimarei contigo

Moço apaixonado / Que do amor nem sonhas
Que um menino alado / Tem manhas medonhas
Do amor já sei tudo / Mesmo assim te digo
Que amarei contigo
Que amarei contigo

Moço ilusionista / Que a vida resumes
A acender na pista / Teus fingidos lumes
Nem que no engano / Possa achar abrigo
Fingirei contigo
Fingirei contigo

Nunca nada tive / Menos tenho ao fim
Nunca de si vive / Quem vem ao que vim
Parto mas cantando / Meu mundo inimigo
Mesmo que me expulses
Ficarei contigo