- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.500 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Armas brancas do fado

José Alberto Marques / José Horta
Repertório de Dora Maria

Tenho voz para cantar
Palavras para dizer / Quando o teu corpo souber
Quando o teu corpo souber
Tudo isso é memória / Da história que eu quiser

Canto e não digo quem sou
Passamos e entre nós
Um beijo há que voou

Não digas que o teu silêncio
Que um sonho nunca está dito / É no corpo que acredito
Na pressa do teu olhar
Na força onde medito e grito / Tenho voz para cantar

Canto o sonho e canto a vida
Nas ruas fundas, nas malhas / São rixas de navalhas
São rixas de navalhas
Ou pedras, rosto pisado / Nas armas brancas do fado