- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Gaivotas do Douro

Nel Garcia / Frederico de Brito *canoas do tejo*
Repertório de Zé Carvalho

Gaivota de busto erguido  / Que vens do Cais do Terreiro
Peixinho que andas perdido / À procura de parceiro

O vento sopra no ar / O sol parece um melão
Lá se vai a rebolar / A ensaiar o malhão

Gaivota... conheces bem
Quando o vento está mais forte
As curvas da Via Norte 
E os pinheiros que ela tem
Gaivota... por onde vais
Se algum tété te abalroa
Nunca mais voltas p'ros pais
Nunca, nunca, nunca mais 

Gaivota de bela panda / Que vens de motorizada
E trazes a saca branda / Que o negócio não deu nada

A mota queimou a vela / E se adormeceu, deixá-la
Agora, põe-te à tabela / Não vá o bófia gamá-la