- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.835 LETRAS PUBLICADAS <> 2.700.000 VISITAS < > 01 MARÇO 2023
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

À procura do fado

Letra de Frederico de Brito
Desconheço se esta letra foi gravada
Publico-a na esperança de obter informação credvel

Letra transcrita do livro editado pela Academia da Guitarra e do Fado


Lisboa, de lado a lado
Corri de noite e de dia
Fui à procura do Fado
Que fugiu da Mouraria

Bati às portas de Alfama / Disseram-me com desgosto
Que se limpara da lama / E saiu todo bem posto

Fui depois ao Bairro Alto / Onde o Fado era benquisto
Pus o bairro em sobressalto / Mas ninguém o tinha visto

Andei pela Madragoa / Sem lá o ter encontrado
Em suma: Corri Lisboa / E não encontrei o Fado

Já as esperanças perdi / De o ver p’las tascas vizinhas
Se alguém o vir por aí / Dê-lhe lá saudades minhas