- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Meu triste, triste amor

Jorge Fernando / Alfredo Duarte *eu lembro-me de ti*
Repertório de Ana Moura

Meu triste, triste amor, das noites inocentes
Que o amor ao possuír-me, inocentiza-me o ser
Por sobre a minha pele, as tuas mãos reluzentes
Afadigam-se no corpo, p'ra melhor o conhecer

Meu triste, triste amor de anseios prematuros
De ventos circundantes incentivados por nós
O amor se faz ouvir por entre beijos seguros
Num sorriso insolente que não chega a ser voz

Meu triste, triste amor, de inuzitada memória
De incontadas promessas, em tímido pudor
Somente a nossa voz, poderá contar a história
Do quanto nos amámos, meu triste, triste amor