- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Meu povo que tanto viu

João Centeio / José Marques do Amaral
Repertório de Rodrigo

Regressam tristes a casa
As pessoas da cidade
Mais velhas que a sua idade
Lembram gaivotas sem asas

Na lancheira resta o pão / Do conduto que faltou
Meu povo que o mar lavrou / Cambaleia sobre o chão

Não são Indías nem incensos / O que falta a esta gente
É qualquer de urgente / É qualquer coisa de imenso

Já foste mar e amarra / Temido, audaz, e ousado
Canta de novo o teu fado / Que ainda és mastro e guitarra

Meu povo que tanto viu / Pede ao mar que te retome
Ergue de novo o teu nome / Pois todo o sonho é navio

Enfrenta as vagas, até / Que os versos saltem velozes
Pois só poemas ferozes / Mantêm um povo em pé