- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.650 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Pássaro voz

Mário Rainho / Fernando Alvim
Repertório de Ana Moura

Solto do meu peito
Gaiola fechada
Esta minha voz que livre voa e ganha altura
Sem perder o jeito
Ave libertada
Em nuvens de versos tem vertigens de ternura
Esta minha voz que livre voa e ganha altura
Em nuvens de versos de ternura

À noite te entrego
Porque o sol te queima
Pássaro que a lua e as estrelas quer beijar
Se nada lhe nego
Porque tanto esta voz teima
Depois de ser céu, querer ser mar?

Volta p’la manhã
Ao beiral da alma
Ainda trás na boca um gosto a fado e a poesia
Mas sei que amanhã
Perde à noite a calma
E volta a ser o céu, luar de prata e maresia
Ainda trás na boca um gosto a fado e a poesia
E volta a ser céu, luar, maresia