- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Naquela noite

António Vilar da Costa / José Duarte *fado seixal*
Repertório de Joaquim Silveirinha

Na noite de São João
O Chico do Bairro Alto
Com o seu ar folião
E uma guitarra na mão
Pôs o bairro em sobressalto

Sob a janela da Rosa / À luz argêntea da lua
Cantou com voz maviosa / Uma quadrinha amorosa
E a Rosa veio p’rá rua

Traça o xaile de varina / Responde às quadras singelas
Com a sua voz argentina / Acompanhando em surdina
Ao compasso das chinelas

Já da fogueira apagada / Resta um braseiro desfeito
Mas no fim da desgarrada / Sentem, d’alma apaixonada
Uma fogueira no peito

Das janelas, com calor / Foram muito aplaudidos
Nenhum levou a melhor / Mas na luta do amor
Ficaram ambos vencidos

Hoje a Rosa, já casada / 
Lembra aquele São João
Quando o Chico à desgarrada / Na Travessa da Queimada
Lhe queimou o coração