- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Samaritana

Alvaro Augusto Cabral
Repertório tradicional de Coimbra
-
Álvaro Cabral compôs este trecho, letra e música, por volta 1914. 
De referir que Edmundo Bettencourt o gravou em 1928. 
Informação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia
Livro *Poetas Populares do Fado-Canção*
-
Dos amores do Redentor
Não reza a história sagrada
Mas diz uma lenda encantada
Que o Bom Jesus sofreu de amor

Sofreu consigo e calou
Sua paixão divinal
Assim como qualquer mortal
Um dia, de amor palpitou

Samaritana, p
lebeia de Sicar
Alguém espreitando te viu Jesus beijar
De tarde quando foste encontrá-lo só
Morto de sede, junto à fonte de Jacob


E tu risonha acolheste
O beijo que te encantou
Serena empalideceste
E Jesus Cristo corou

Corou, por ver quanto luz
Irradiava da sua fronte
Quando disseste; Meu Jesus
Que bem eu fiz Senhor, em vir à fonte


Actualmente, é muito raro cantar-se esta letra completa
suprimindo-se as estrofes seguintes:

Fitando o azul celeste / Jesus seguiu a jornada
Após o beijo que lhe deste / N’aquela hora abençoada

E a jovem Samaritana / De lindo rosto moreno
Como mulher sentiu-se ufana / Por ter beijado o Nazareno


Mais tarde da Galileia / Seguida de fariseus
Entravas pela Judeia / Perdida d’amor por Deus

Dando gritos lancinantes 
Suplicavas morte na cruz
No mesmo lenho em que horas antes
Bebendo fel, morrera o teu Jesus