- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - - - -
As 5.440 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os
- - - - -
Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE *filósofo*
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Canção do exílio

Manuel Alegre / António Portugal
Intérprete: António Bernardino


Eu vivo lá longe, longe / Onde passam os navios
Mas um dia hei-de voltar / Ás águas dos nossos rios
Eu vivo lá longe, longe

Hei-de passar nas cidades / Como o vento nas areias
E abrir todas as janelas / E abrir todas as cadeias
Eu vivo lá longe, longe

Hei-de passar a cantar / Pelas ruas da cidade
Erguendo na mão direita / A espada da liberdade
Eu vivo lá longe, longe