- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Esta Ribeira tripeira

Letra e música de Henrique Abreu
Repertório do autor


Ribeira do meu Porto tão lindo
Deste cais de saudade
Ribeira sem Rabelos com vinho
Porque tens outra idade

Ribeira, tua vida brejeira
Faz inveja à cidade
Ribeira, tens a mesma maneira
De viver com verdade

Esta Ribeira tripeira
Tem cheiro a peixe e a fruta
Esta Ribeira tripeira
Tem a gente que labuta
Esta Ribeira tripeira
Tem domingos de sol quente
Esta Ribeira tripeira
Tem passado e tem presente


Ribeira deste rio afamado
Deste Douro arrogante
Ribeira, tens o gosto que eu trago
A poesia distante

Ribeira, velha companheira
Que me afaga a tristeza
Ribeira do pregão e d’asneira
Quem te vê, vê franqueza