As 5.205 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Contradições *dueto*

Popular? / Pedro Rodrigues

Aquele homem que ali vai
Mostra ter fraca aparência

Deve ser um malfeitor!...
Enganaste, é um bom pai
Trata a esposa com paciência

Trata os filhos com amor
---
A mulher que vês ali
Parece que anda perdida / Ou foi lançada aos maus trilhos
É falso, trabalha aqui
Aonde governa a vida / Para amparo dos seus filhos
---
Vem ali um marinheiro
Todo cheio de vaidade / Com a calça a dar a dar
Mas é um bom companheiro
Representa a heroicidade / De Portugal além mar
---
Que dirás também daquele
Rapaz, tristonho e sombrio / Que te vendeu o jornal?
Tem um destino cruel
Trabalha, tem fome e frio / E dorme no teu portal
---
Diz-me lá qual a razão
Porque te pedem esmola / Homens cheios de saúde?
É porque lhes falta o pão
Entraram na grande escola / Que faz manchar a virtude
---
Diz-me então porque a ralé
Anda á ponta de cigarros / Pelos pontos mais centrais?
É porque tu, no café
Com teus amigos bizarros / Os desperdiças demais
---

Já que a tudo me respondes
Não me posso defender / Sem o dom da hipocrisia
Respondo sim, porque escondes
Esta vida que há-de ser / Sempre assim, até um dia