- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.520 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Cigarra e Formiga

Linhares Barbosa / Alberto Costa
Repertório de Natália dos Anjos

Desminto uma lenda antiga
Muito velhinha e bizarra
Que conta que uma formiga
P'lo trabalho e p'la fadiga
É diferente da cigarra

Eu sou cigarra e formiga / Pois vivo desta maneira
Sou modesta rapariga
De noite boto cantiga / De dia sou vendedeira

Não faço aquela algazarra / Duma cigarra no prado
Canto ao som duma guitarra
De dia ninguém me agarra / Em qualquer sítio de fado

Como o trabalho me anima / E me dá pão e me alegra
E a freguesia me estima
Não canto nem uma rima / Quando sou formiga negra

Sou cigarra e sou formiga / E a tudo isto eu acho graça
Nem consinto que se diga
Mal de qualquer rapariga / Que ganha a vida na praça