- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Ouve Lisboa

Vasco de Lima Couto / Nuno Nazareth Fernandes
Repertório de Raquel Tavares

Cheguei um dia a Lisboa com malas feitas de vento
Que pesavam as palavras que trago no pensamento
Fui de colina em colina ver o céu de que se gosta
E tu ficaste, Lisboa, vestida de mar e encosta

Ouve Lisboa... cais de fome marinheira
Se a minha voz tu consentes, ouve Lisboa
Naquela onda, naquela onda primeira
Canto o fado que tu sentes por seres Lisboa;
Ouve Lisboa... raíz dos barcos perdidos
Onde o mar dos meus sentidos voa, se voa;
E lá por teres bebido o sal doutras paragens
Em noites de frias rotas
Poderás ver que eu eu sou o fado em viagem
Sobre o dorso das gaivotas

Todos os dias me prendem esses voos feitos de água
Onde as velas sem caminho navegam por minha mágoa
Mas qualquer resto de vida murmura p´ra qualquer lado
Nesta distãncia perdida que faz distãncia do fado