- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - - - -
As 5.440 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os
- - - - -
Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE *filósofo*
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Madragoa

Frederico Valério / João Bastos
Repertório de Rodrigo

Uma saudade do mar, tem, seu monumento em Lisboa
Velho bairro popular, sombrio e vulgar, que é a Madragoa
E reza a história que foi lá, numa noite de natal
Que veio a luz o primeiro herói marinheiro, que honrou Portugal

Ó velha Madragoa...
Tens a esperança e nada mais
E há tanta coisa boa
Noutros bairros, teus rivais
Ó velha Madragoa...
Não tens um só painel, um arco ou um brazão
Só tens ó Madragoa
Nos lábios doce mel, no peito um coração

A noite cai, e o luar vem dar-lhe a triste cor de opala
E as estrelas a brilhar, parecem baixar do céu p'ra beijá-la
E a Madragoa a dormir tem como prémio ao seu labor
Lindos sonhos de princesa, de eterna beleza, os sonhos de amor