- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.530 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Bateu-me à porta a tristeza

Fernanda de Castro / Elvira de Freitas
Repertório de Ada de Castro

Bateu-me à porta a tristeza / Que me anda a namorar
Não a quis à minha mesa / Para quê deixá-la entrar?

A tristeza foi-se embora / Mas voltou ao outro dia
Entrou, cá ficou e agora / Anda a prender a alegria

Tristeza porquê? se a vida é assim
De espinhos e rosas se faz um jardim
Tristeza porquê? se a vida é tão boa
More uma ilusão, um pássaro voa

Agora tem mais cuidado / Sabe que há momentos bons
E que a vida é como o fado / Que se canta em vários tons

A tristeza já não chora / E a sua alegria é tanta
Que aprendeu a rir e agora / Tem rouxinóis na garganta