- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.650 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Poema desfeito

Hélder Moutinho / Casimiro Ramos *fado freira*
Repertório de Marco Rodrigues

Trago na alma o cuidado
De cantar este meu fado
Com verdade e com razão
Canto à vida, canto à sorte
Cais virado contra a morte
Nas rotas do coração

Cada verso é cada sonho
Num poema que componho /
Que trago dentro do peito
E canto toda a verdade
Seja tristeza ou saudade /
Ou um poema desfeito

A cantar me fiz assim
Num fado que não tem fim /
Num sonho que não tem morte
Entrego a voz à esperança
Trago sonhos de criança /
No sonho da minha sorte