- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Deixem-me ser assim

Jorge Fernando / Martinho d'Assunção *fado alexandrino*
Repertório de Fernando Maurício

Deixem-me ser assim fadista como sou
Ser voz de mar tranquilo, ser voz de noite calma
Deixem-me ser jardim que em mim se cultivou
Onde a seiva da voz transforma a flor em alma

Deixem-me ser assim, apenas como sou
Ser onda que alcançou a praia desejada
Não me gritem decretos que um dia alguém criou
Não sou palco de versos, sou eu, ou então nada

Por isso é que renasço em todos os meus fados
No ventre cristalino dum mar que não tem fim
Jamais cantarei preso a gestos estudados
Não trago fado á vista mas sim dentro de mim