- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Foste uma ilusão

António Rocha / Fontes Rocha *teu nome simplesmente*  
Repertório de António Rocha

Pensaste que eu buscava uma aventura
Um risco mais no meu rol de prazer
E viste devaneio onde a ternura
Vibrava no mais fundo do meu ser

Recordo as horas que comigo estavas
Quando só eu falava e tu ouvias
E as escassas respostas que me davas
Me faziam pensar que me entendias

Escutavas as palavras que eu dissesse
Sorrindo para mim cada momento
Por isso me confunde e entristece
A tua ausência, o teu afastamento

Ainda não consigo compreender
O que faz tomar tal atitude
Pois quem melhor pansamos conhecer
É quem mais fácilmente nos ilude

Cantando este poema para ti
Mais uma vez abri meu coração
Olha-me bem nos olhos e sorri
E diz-me que não és uma ilusão