- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Lisboa da minha saudade

Eduardo Olímpio / Arlindo de Carvalho
Repertório de Nuno da Camara Pereira

Sonhando andei por Lisboa / Lembrando tempo passado
O dorso duma canoa / A doce mágoa do fado

A a Rosa da Madragoa / Que não me quis namorado
Alguém da noite cantando / E a lua espreitando num velho telhado

Um cheiro a jornais, o peixe no cais, um céu sem idade
É esta a Lisboa da minha saudade
Pregões matinais que acordam pardais, num hino á cidade
É esta a Lisboa da minha saudade
Lisboa das caravelas, com brancas velas em oração
Cidade noiva do fado, que eu amo e trago no meu coração

Lisboa de quando havia / Gaivotas em consoada
Num Tejo azul que parecia / Feito de prata lavada

Lembrança de quem partia / Nos olhos da madrugada
E a proa duma traineira / Bailando ligeira em cada largada