-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores dos temas aqui apresentados.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* 7.260 LETRAS <> 3.120.500 VISITAS * MARÇO 2024 *

. . .

Meu filho

Linhares Barbosa / Francisco Viana *fado vianinha*
Destinada ao repertório de Deonilde Gouveia, esta letra foi gravada por
Tristão da Silva e também por Manuel de Almeida


No dia em que tu nasceste
São Pedro os anjos contou
Mas nunca soube o destino
Dum anjo que lhe faltou


Manhã, caíam as horas 
Dos sinos das abadias
Cantavam as cotovias 
Alegres, madrugadoras
O sol estendeu as mãos louras 
Por toda a amplidão celeste
Nunca um dia como este 
Bruniu tanto os horizontes
Cantavam todas as fontes
No dia em que tu nasceste

As estrelas – as moedas 
Que Deus pelo céu entorna
Fugiram com a luz morna 
Do sol já em labaredas
Nas celestiais alamedas 
Um bando de anjos pairou
Traquinou, depois voou 
Na luminosa amplidão
Pelo sim e pelo não
São Pedro, os anjos contou

Meu filho, que de embaraços 
Tu causaste lá no céu
Mas ‘inda bem, porque és meu 
E já não sais dos meus braços
Só Deus sabe dos teus passos 
Foi ele quem te guiou
Agora já te não dou 
Nossa Senhora, também
Já sabe que sou a mãe (a)
Dum anjo que lhe faltou

Vasculha-se o infinito 
E o anjo não aparece
São Pedro quase enlouquece 
P’la fuga do pequenito
Santo António, muito aflito 
Agarra-se ao Deus-Menino
São João, num desatino 
Discorda da diabrura
São Pedro ainda o procura
Mas nunca soube o destino

(a) obviamente que na versão de Tristão e Manuel de Almeida 
onde o poeta escreveu (sou a mãe) os intérpretes substituíram 
por (sou o pai)