- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.580 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

À noite

Nuno Júdice / Alfredo Duarte *fado laranjeiro* 
Repertório de Carlos do Carmo 

No fado em que nasci, no fado em que morri
Um fado vi nascer, na sina de morrer
Em tudo o que cantei, um rosto me sorri
Um fado me ensinou, que nunca vou esquecer

E se o fado me leva, para onde te ouvi
É porque é só no fado, que eu oiço a tua voz
A mais bela das noites, que a voz me ensinou
Onde é noite o teu fado, e o fado somos nós

Quero ouvir neste fado, outro fado igual
E viver nesta noite, que á noite aconteceu
Ser outro nos teus braços, ser outro e ser igual
Sermos um em ser dois, e seres tu em ser teu

Ver a noite inventada, num luar descoberto
Ser riso o próprio pranto, ser fado no meu canto
Ser dia e noite escura, e certo o mais incerto
Ver nascer deste fado, um fado em cada canto