- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Dona fortuna

Artur Ribeiro / Frederico de Brito
Repertório de Ivete Pessoa

Vocês já p’raí uma senhora importuna
Chamada fortuna
Chamada fortuna
Que anda sempre acompanhada duma senhora mais forte         
Que se chama sorte
Que se chama sorte

Nasceu na Rua da Fé e mora desde criança
No Bairro da Esperança
No Bairro da Esperança
E por mais que a gente fale, e por mais que a gente diga
Não liga, não liga
Não liga, não liga

Mas se alguém a encontrar 
Era favor perguntar
Onde vive agora
Onde é que ela mora
A fortuna, quando vem 
Nunca espera por ninguém
Chega só na hora
Vai-se logo embora

Já disse a dona calúnia, que ela é filha do acaso
Mas não façam caso / Não façam caso
Também há muito quem diga que ela é irmã da cobiça
É uma injustiça / É uma injustiça  
                                                       
Que ela anda um pouco indiferente co’a dona felicidade
É uma verdade
É uma verdade
Há quem diga que o pudor, quando ela passa, suspira
Mentira, mentira
Mentira, mentira