- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Fado do pescador

Silva Tavares / António Melo
Repertório de Tristão da Silva

A rede posta a secar, a fim de voltar á lida
Cada vez que a lanço ao mar, lanço nela a minha vida

Mas não julguem que me queixe, ou me assusta a profissão
De ir ao mar buscar o peixe, para ter na terra o pão

É constante o sobressalto
Pelo risco de ir ao fundo e não voltar
Mas antes quero o mar alto
Que andar nas bocas do mundo
Lá no mar, a vida dói, custa a levar
Porque o mar é falso, e além de falso é vário
Mas cá na terra é que foi
E não no mar, erguido o calvário

Já ouvi mais que uma vez, ao falar-se do passado
Que do pranto português, foi que o mar ficou salgado

Mas foi o mar que nos trouxe, o respeito universal
E fez com que a gente fosse, nação valente e imortal