- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Sêde na Ribeira

José Fernandes Castro / Carlos Alberto França *sol da ribeira*
Repertório de Zé Carvalho

Tinto verde ou verde tinto / Verde branco ou carrascão
Por ser piela distinto / Bebo Lagosta e Gatão

Se a pomada fôr porreira / Vai um litro de repente
Água? nem por brincadeira / Leite?... tirai-mo da frente

Bebo champanhe do francês / Se me esgosta o Asti Gancia
Whisky do escocês / Esse vai sempre à ganãncia

Se a dose fôr bem medida / Nem qualquer um me percebe
E o que se leva da vida / É somente o que se bebe

Eu adoro umas pielas
Não falto a nenhuma prova
Gosto da ginja com elas 
P'ra ser de caixão à cova
Beber para divertir 
A qualquer um sabe bem
Você não esteja a rir 
Que não engana ninguém

Bebo maduro da Meda / Bebo Borba e Monsaraz
Não há nada que não beba / Com excepção da água-ráz

Bebo Ponte de Marante / Também bebo Aldeia Velha
E quando ando badante / Vai refresco de Groselha

Bebo Rosé e Sumol / E até bebo Vila Faia
Ao tomar banhos de sol / Bebo refrescos na praia

Beber por gosto não cansa / Sigam os meus bons conselhos
Quando lhes doer a pança / Bebam Águas Carvalhelhos