<> Canal de Rádio criado em homenagem a RODRIGO <>
Clique na imagem e oiça a Rádio Bocas do Fado

<> <> <>
Este espaço foi criado <> Com grande dedicação <> Por alguém que faz do fado <> A sua religião.

<> <> <>
As 5.845 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.

<> <> <>
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa.
Paulo Freire *filósofo* 1921 <> 1997

<> <> <>
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil <> Em caso de dificuldade não hesite em contactar <> fadopoesia@gmail.com

Apregoando cautelas

José Luís Gordo / Fontes Rocha
Repertório de Carlos Macedo

Apregoando cautelas o cauteleiro lá vai
Sorte grande sorte grande, só comprando é que lhe sai
Compre a sorte meu senhor que será por mim vendida
Viver rico é bem melhor do que pobre toda a vida

Sorte grande já eu tenho, é saúde e alegria
É viver sempre feliz, ter o pão de cada dia
Sorte grande é o amor que nós temos para dar
E a felicidade maior, é alguém a quem amar

A sorte nunca se escolhe, vem sempre quando Deus quer
Não há riqueza maior que ser feliz até morrer
ive a sorte encontrar um amor p'ra toda a vida
Sorte grande para amar, saiu-me sem ser vendida