- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Dei-te um nome em minha cama

Vasco de Lima Couto / José António Sabrosa
Repertório de Beatriz da Conceição

Dei-te um nome em minha cama /
Aberta no meu outono
Depois amei-te em silêncio
/ Que é uma forma de abandono
Dei-te um nome em minha cama
Rasgada em lençóis de sono

Tentei ser tudo o que era / Nas horas da mão parada
Corpo e campo aberto ao vento / Que encaminha a madrugada
Tentei ser a primavera

E cantei meu triste nada

Vi-te ao canto da memória
/ Por te viver e sonhar
Amor d'amor sem glória
/ Como um rio ao começar
Que te vai contando a história

Onde eu não posso morar

Dei-te um nome em minha cama / Aberta no meu outono
Depois, amei-te em silêncio / Que é uma forma de abandono
Dei-te um nome em minha cama

Rasgada em lençóis de sono