- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Cais do Sodré

Paco Bandeira / Eduardo Olímpio
Repertório de Rodrigo

O Cais do Sodré não é!... só bares de prostitutas
Também é gente a alombar caixas de peixe e de frutas
Não é só a mão que passa a candonga do Japão
Também é cais onde embarca quem busca no mar o pão

Ai Cais do Sodré... ai Cais do Sodré
Mais vale parecer... que ser o que é
Ai Cais do Sodré... ai Cais do Sodré
Nem todo o sapato... te serve no pé

O Cais do Sodré não é!... só rusga que vai e vem
Também é gente que mora num lar que há muito ali tem
Gente com filhos, mulher e a renda da casa em dia
Gente que apenas trabalha e no trabalho confia

O Cais do Sodré, não é!... só refúgio de falsários
Também são altos guindastes movidos pelos operários
Não é só a mão que passa a candonga do Japão
Também é cais onde embarca quem busca no mar, o pão

O Cais do Sodré... não é!