- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Lisboa meu amor

Letra e musica de Manuel Alcobia
Repertório de Rodrigo

Ausentei-me de Lisboa, e na distãncia
Que marcou esta lonjura desmedida
Meditei nesse jardim da minha infãncia
Recordando tanta coisa já esquecida

Ausentei-me de Lisboa há muito tempo
Mas o tempo que passou nada apagou
Até mesmo estes poemas que eu invento
São pedaços de mim mesmo, que lhe dou

Ó meu amor...
Eu já trazia a tua imagem nos meus olhos ao abri-los
E a melodia dos teus fados embalava-me ao abri-los
Ó meu amor...
Quando nasci logo senti, que tu em mim e eu em ti
Era o calor dum grande amor, o mesmo ardor

Era a noite uma criança, velho tempo
Quando a noite de Lisboa não dormia
Madrugada sorrateira em movimento
Convidava-me a acolher o novo dia

Vinha o sol p'los telhados, docemente
A beijar cada colina da cidade
Creiam bem, brilhou, nasceu p'ra toda a gente
Meu amor, dentro de mim nascer esta saudade