- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Dona Pirilampampina

Neca Rafael / Miguel Ramos *fado alberto*
Repertório de Neca Rafael 


José Cascata de Oliveira Matos
Que casou com a Dona Pirilampampina
Ele era duns elegantes formatos
E ela, uma excelente menina

Então o pobre Zé, cheio de dor
Ao Deus tão poderoso, implorava
P'ra lhe dar, do fruto do seu amor
Um menino ou dois, não se importava

Surgiu rápida a notícia feliz
Porque o mundo, tem tão cruéis destinos
A parteira chamou-o, e assim lhe diz:
Olhe, olhe, ó Sô Zé: sua esposa deu à luz dois meninos

Então o pobre Zé pôs-se a saltar
Esfregando as mãos, mas depois
A parteira vem de novo anunciar:
Olhe... olhe...ó Sô Zé: já tem mais dois

Mal tinha dito isto e outra vez
Volta a parteira aflita, p'ra dizer
Acabam de nascer... Sô Zé... mais três
E p'lo que vejo, há mais para nascer

Oh senhora, nascer mais nenhum não deixe
Gritou o Zé, com voz enfurecida
Porque isso concerteza, é uma creche

Ou uma escola à hora da saída