- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

* Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor *

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* SE NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------

2.135.500 VISITAS /*/ 31.05.2021

--------------------------------------------------

NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO.
Vasco Graça Moura /// Porto 03.01.1942 /// Lisboa 27.04.2014
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Óh velho Porto

Moniz Trindade / Henrique Terry
Repertório de Moniz Trindade

Óh velho Porto da Batalha e Fontainhas
Das catedrais já velhinhas, das tradições
Ès a cidade mais franca, mais verdadeira
Desde a bairrista Ribeira até Leixões

Nobre cidade, os teus velhos monumentos
São igrejas, juramentos, de gratidão
E se há folia, o teu povo nobre ou rude
Canta com graça e virtude a São João

Óh Porto amigo, óh cidade nobre e leal
Canta comigo este hino a Portugal
Cidade linda da Praça da Liberdade
Também, a saudade

Óh velho Porto, pelos teus feitos de glória
Tens páginas d’oiro na história e ès afinal
Berço de heróis que a pátria tem consagrado
E mais fama têm dado a Portugal

Óh velho Porto, chaminés enegrecidas
Cantando hinos à vida no seu afã
Que lindo è ver passar hostes matutinas
Dos gangas prás oficinas, pela manhã