As 5.180 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Pois é

Jorge Fernando e Sam The Kid / Jorge Fernando
Repertório de Jorge Fernando e Sam The Kid


Pois é, a vida está uma…

Pois é

Tenho a mão vazia dentro do meu bolso
Que está tão vazio como a minha mão
Aperto o vazio tanto quanto posso
Nesta encruzilhada, que vida de cão

Este é o fado da classe atarefada que passa o dia inteiro
Com a massa e o cimento no braço a pensar:
Como é que eu faço para sair deste escasso vencimento
Ou caio no esquecimento num curto espaço de tempo
E se eu protestasse ao meu presidente
O que me vai no pensamento, talvez ele não gostasse
Ah pois é, não és o desempregado

Não és o pregado de sempre que tá sempre apertado
Para mim qualquer coisa é bem-vinda ao meu agregado
Fico agradecido mas nem sempre bulo com agrado
Aquilo que eu oiço é sempre igual em todo o lado
Que a culpa é do Estado que tem estado num estado bastardo
Chega ao Domingo vou pró estádio p’ra estar com o Mário
É aí que eu me vingo para afastar-me do obstáculo diário
O Mário é o meu puto, tem sete anos e grande cenário
Respeita-me muito e já sabe que eu sou um mercenário
Tê-lo por perto um dia é só um segundo bem breve
Porque eu liberto euforia até que a segunda me leve
Mas como tenho teimosia estou a pensar fazer greve
No bolso tenho a mão vazia, o patrão ainda me deve


Todo o santo dia enchem-me a cabeça
Velhas frases feitas, manipulação
Falam de milagre e à espera que aconteça

Vamos desvivendo, que vida de cão

Num sonambulismo telecomandado
Cumprimos os dias em resignação
Não há luz no túnel é o nosso fado
Presos por uma trela, que vida de cão

Tou preso por uma trela, vivo uma vida de cão
Minha rotina é uma cela que cancela uma ambição
Que me revolta e indigna, mas dá-me resignação
Só oiço velhas frases feitas, e a manipulação
Que se alivia à noite quando eu ligo a televisão


Passam-se as promessas, por nunca cumpridas
Enganosas frases dão por explicação
Na vida sou um número entre tantas vidas
Resta-me ser digno como é o cão

Pois é, a vida está uma… Pois é
Tou preso por uma trela, vivo uma vida de cão
Pois é, a vida está uma… Pois é
Vivo uma vida de cão, vivo uma vida de cão