- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.515 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Bocas do fado

Oscar Martins Caro / Carlos Santos
Repertório de Rodrigo

Tenho a mania, sou um doente p'lo fado
Vou com ele a todo o lado / E se não vou, faço fita
Tenho a mania, ao ouvir uma guitarra
Canto o fado com tal garra / Que a malta delira e grita

Ah fadista... és a pantera do fado
Mostra lá como se canta
Todo rufia sempre a gingar
Ah fadista... grita o povo entusiasmado
Assim é que é ter garganta
Assim mesmo é que é cantar

É uma doença sem tratamento nem cura
Porque ninguém me segura / E já notam a minha falta
É uma doença que mata, mas faz viver
Cantar o fado e beber / Ouvindo as bocas da malta

Vivo p'ro fado, a minha ideia não muda
Este fadistice aguda / Está-me no sangue e não finda
Vivo p'ro fado... quero morrer a cantar
Ouvindo a malta gritar / Ah Tigre... ah boca linda