- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.555 LETRAS PUBLICADAS <> 2.630.000 VISITAS < > NOVEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Ressureição de Rosa Maria

António Amargo
Desconheço se esta letra foi gravada.
Transcrevo-a na esperança de obter informação credível


Porque alguém a assassinou
Morreu a Rosa Maria
Da Rua do Capelão
Mas Cristo a ressuscitou
E ao fim do terceiro dia
Deu-lhe vida e coração

Jazia inerte e sem vida
A cantadeira encantada / Que tanto nos encantou
Não foi de morte morrida
Mas sim de morte matada / Porque alguém a assassinou

Ouviu-se em menos dum ai
Pela velha Mouraria / Este sinistro pregão
Chorai, fadistas, chorai
Morreu a Rosa Maria / Da rua do Capelão

A Rosa, deusa do Fado / Rainha das maravilhas
Um mau bocado passou
Um poeta consagrado / Matou-a em cinco sextilhas
Mas Cristo a ressuscitou

Morreu de morte serena
Às mãos de uma poesia / Que lhe serviu de caixão
Porém Jesus teve pena
E ao fim do terceiro dia / Deu-lhe vida e coração