-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores dos temas aqui apresentados.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* 7.350' LETRAS <> 3.257.500 VISITAS * MAIO 2024 *

. . .

Esquiva

Mote de autor desconhecido / Glosa de Avelino Sousa
Informação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia
Livro *Poetas Populares do Fado-Tradicional*

Desconheço se esta letra foi gravada.
Transcrevo-a na esperança de obter informação credivel


Não pude furtar-te um beijo
Desses teus lábios, donzela
Porque tens, constantemente
Teus olhos de sentinela


Morena de olhos mortais 
E lábios cor da papoila
És a mais linda moçoila 
Que aparece p’los trigais
Quando, junto aos roseirais 
Te exprimi o meu desejo
Subiu-te às faces o pejo 
De purpurina candura
E por minha desventura
Não pude furtar-te um beijo

Ao ver as ondulações 
Que fazem arfar teu seio
Eu senti o doce enleio 
De ternas palpitações
E tive mil tentações 
De enlaçar-te, minha bela
Mas, ágil, como a gazela 
Fugiste do meu amor
Sem que eu sorvesse o licor
Desses teus lábios, donzela

Meu anjo: não pode ser
Fazeres-te assim tão esquiva
Pra que hás-de ser tão altiva 
Se, por fim, vens a ceder
Eu não posso conceber 
Que me julgues exigente
Pois se era um furto, inocente 
E, juro, que, p’ra bom fim
Teus olhos fitos em mim
Porque tens, constantemente

Não tenhas tal azedume 
Nem tamanha vigilância
Deixa aspirar a fragrância 
De teus lábios o perfume
O veneno do ciúme 
Em meu peito se revela
Beijar-te, minh’alma anela 
Mas não gozo tais delícias
Pois me lembram dois polícias
Teus olhos de sentinela