- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Desordem na Madragoa

Mário Costa Nogueira dos Santos
Repertório de César Morgado

O Bairro da Madragoa
Foi cenário de pancada
Por causa duma canoa

Que estava a ser leiloada

A velhinha embarcação / É do Chico tremidinho
Mora no Castelo Picão / Por sinal, já é velhinho

O Chico do machadinho / Mais um puto da fragata
Já toldados pelo vinho / Armaram a zaragata

A Judite pé de ferro / Essa grande linguareira
Amandou tamanho berro / Que até se ouviu na Ribeira

Quando a polícia chegou / A esse bairro afamado
A desordem terminou / E depois cantou-se fado