- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Cúmulo do azar

Neca Rafael / Armandinho *fado alexandrino antigo*
Repertório de Neca Rafael

O cúmulo do azar, azar austero e mau
Vós não sabeis qual é que afecta uma pessoa
É um desgraçado ter uma perna de pau
E chupar um pontapé na perna que está boa

É um tipo ser ceguinho, apenas ver por um olho
Mas o azar persegue-o e sem mais nem para quê
Alguém grita “ó da guarda”, ele corre ao restolho
E leva um grande soco no olho por onde vê

É um tipo ser casado e a esposa fugir
É ele ver-se à solta, gozando a vida bela
Por cúmulo do azar, a esposa volta a vir
E traz p'ra sua casa a santa da mãe dela

É um tipo ser calvo e oferecerem-lhe pentes
É um outro que ouve bem e falam-lhe aos gritos
Outro come Maizena só porque não tem dentes
E a esposa distraída, anda a pôr-lhe os palitos