- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Fado das capicúas

Edmundo Ribeiro / Alves Coelho *fado do 31* 
Repertório de Edmundo Ribeiro 

A Micas do picolé / Sobrinha do trinta reis 
Joga com o Zaricoté / No seis nove, nove seis 

Num jogo descontrolado 
Que é virado e revirado / Ao sabor da cheia lua 
Ela afirma e até aposta 
Que se joga é porque gosta / Da faina da capicua 

Oh lari ló lé la 
Como todos vós sabeis 
A Micas do picolé só quer o noventa e seis 
Oh lari ló lé la 
Quer aprove ou não aprove 
Também o Zaricoté só quer o sessenta e nove 

Quanto à Micas do riacho / Que é sócia do José Lima 
Joga p'ra cima e p'ra baixo / Joga p'ra baixo e p'ra cima 

Diz a Rita dos rissóis; 
Causa graça ver os dois / Sempre a andar às arrecuas 
Com amor e com carinho 
A procurar o jeitinho / Para entrar nas capicúas 

O Zé trombas, o cicerone / Da Rua de Alferes Malheiro 
Por saber tocar trombone / Todos lhe chamam trombeiro 

Sem nunca viver à míngua 
Ele possui uma língua / P'ras frases estrangeiradas 
Que por aquilo que sei 
Já há quem lhe chame o rei / Das capicúas trombadas