- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Jogos consentidos

Letra e música de: Manuel Bobone
Repertório de António Pinto Basto

Tanto que eu queria deitar-me a teu lado
Num campo que eu via de flores, encarnado
Mas dizem que os jogos que eu queria jogar
Eram fogos para me queimar

Lembra-me as ondas do mar do teu riso
E nunca te escondas, já não é preciso
Que o jogo da vida que eu queria compor
És só tu, és só tu, meu amor

Sempre que eu via que a chuva parava
E o céu se cobria de luz, eu deixava
Que o vento guiasse o teu nome no ar
E passasse por mim a cantar

Quando tu vias que o tempo mudava
Abrias-te em sol e eu acordava
No mar dos teus braços em estrelas do mar
Com pedaços de mim a cantar