- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Canto da fantasia

Letra e musica de Paulo Valentim
Repertório de Kátia Guerreiro

Como o grito de quem nasce num instante
Foi de negro que vieste meu amante
Foi de negro como a noite desse dia
Foi de pranto dessa boca à gargalhada
O sorriso que é a morte anunciada
Do carnaval do amor, a fantasia

E depois foi o canto, a romaria
E as festas da Senhora da Agonia
E tudo o que sonhei por seres quem és
Os beijos que inventei na tua boca
Os gemidos a rasgar a tua roupa
Os meus lábios a beberem as marés

Por isso eu te digo, Meu Senhor
Que esta fala não é pranto, não é dor
Nem vontade de prender ou de largar
É mostrar que sei de ti o que é preciso
P'ra transformar por fim num claro riso
Toda a cor que sei de cor do teu olhar