- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Cruz de guerra

Armando Neves / Miguel Ramos *quadra-versículo*
Repertório de Berta Cardoso

Quando vieram dizer... á pobre mãe
Que seu filho tinha morrido... lá na guerra
Ela ajoelhou a tremer... sentindo bem
O desgosto mais dorido... que há na terra

Trouxeram-lhe a cruz de guerra... que seu filho
Como valente soldado... merecera
E sobre ela a mãe poisou... um olhar sem brilho
Recordando o filho amado... que perdera

A cruz de guerra pegou... como quem sente
Um reconforto divino... que sonhara
Com ternura a colocou... serenamente
No berço em que pequenino... o embalara

Pobre mãe, santa do céu.. em pleno inferno
Pôs-se a embalar o berço... e a dizer
Dorme doeme filho meu... o sono eterno
Como eterna é a mina dôr... de te perder

E a pobre mãe rematou... neste contraste
Dorme dorme o sono eterno... filho meu
Por causa da cruz de guerra... que ganhaste
Quantas mães estão chorando... como eu